Pecuária de corte, o sucesso inegável na produção agrícola, o cooperativismo

 

A pecuária é uma das principais atividades econômicas do país e emprega mais de 7 milhões de pessoas em todo território nacional. Mais de 80% do rebanho nacional está concentrado na pecuária de corte, enquanto a produção de leite representa uma menor porção do gado nacional.

 

Antigamente, a pecuária de corte era uma atividade mais familiar e amadora, porém hoje a tecnologia e os avanços nos recursos de nutrição e genética dos bovinos tem facilitado a produção e aumentado as possibilidades produtivas e de ganhos.

 

Para se ter uma noção de como a pecuária é muito mais presente no país em relação à agricultura, o território utilizado para o gado de corte chega a ser três vezes maior do que a área utilizada para as lavouras.

 

O gado de corte no Brasil conta principalmente com raças zebuínas originárias da Índia, como o Nelore, raça que se desenvolve muito bem em clima tropical e por isso corresponde a 80% da produção nacional que em sua totalidade chega a 121 milhões de cabeças.

 

Apesar de todos os fatores contribuirem, a pecuária nacional ainda patina um pouco no mercado internacional, não sendo o maior produtor de carne bovina do mundo apesar de ter o maior rebanho do globo, perdendo para os Estados Unidos que detém 22% da produção mundial, enquanto o Brasil representa apenas 10% do total de carne produzida no mundo.

 

Infelizmente, mesmo possuindo um grande rebanho, nossa produtividade é muito baixa comparada à de outros países. E é isso que precisa ser trabalhado aqui no Brasil, com políticas de incentivo, mais treinamento e tecnologia e com uma estrutura que facilite e encoraje a produção para o mercado interno e externo.

 

Muitos dos produtores de gado de corte ainda são pequenos empreendedores e nem sempre possuem todos os recursos para se destacarem no mercado e terem uma produção competitiva. Assim, se esforçam, mas tem dificuldade para aumentar sua produtividade e lucros, o que se torna um ciclo.

 

Então como tornar os pequenos produtores mais eficazes e mais fortes? Uma das formas de resolver isso é apostar no cooperativismo. Unindo-se, os pequenos produtores tem mais chances e mais potencial não só para produção, mas também para fazer bons negócios com o seu gado, pois conseguem atender clientes que precisam de mais volume.

 

A ideia é viabilizar todo o processo produtivo, aumentanto a eficácia, garantindo escoamento da produção e bons preços para que os cooperados consigam se beneficiar da força da união e da produção em maior volume. Alguns governos estaduais possuem programas que orientam e incentivam a criação de cooperativas, o que é essencial para fortalecer essa prática no país.

 

Assim, com esforço e união é possível que um dia o Brasil chegue a liderar o mercado da pecuária de corte, não sendo apenas o maior rebanho, mas também a maior produção de carne bovina no mundo.

Comments are closed.